A TEORIA PURA DO DIREITO NÃO É UMA TEORIA DO DIRIETO PURO

Autores

  • Tailine Fatima HIJAZ UFPR

Palavras-chave:

Teoria Pura do Direito, Kelsen, Positivismo Jurídico

Resumo

O trabalho objetiva investigar um dos elementos centrais da Teoria Pura do Direito (TPD), a pureza, para esclarecer que a empreitada kelseniana nunca se tratou de uma tentativa de purificar o Direito. Para fazer isso, com base em uma análise bibliográfica, alguns aspectos gerais da TPD são introduzidos. Depois, busca-se demonstrar, por meio do estudo da obra de Kelsen e de comentadores, que a TPD nunca pretendeu purificar o Direito. Foi possível concluir que a TPD é uma teoria autolimitada e que deve ser provocada sobre o que pretendeu responder. Embora seja uma das mais influentes, no fim das contas, é mais uma teoria sobre o Direito, que recebeu e recebe críticas injustas, mas outras muito acertadas. De todo modo, a TPD não pode ser ignorada e, muito menos, ser tomada por sua “falsa imagem”. Descrever o Direito como ele é – afinal, o propósito da teoria em estudo – pode ser fundamental para que seja possível se constatar como o Direito realmente é, sem mais e sem menos, isto é, sem que ele seja descrito como mais ou menos racional e mais ou menos justo.

Referências

BRASIL. Ministério de Estado do Trabalho e da Previdência. Portaria MTP nº 620, de 1º de novembro de 2021. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-mtp-n-620-de-1-de-novembro-de-2021-356175059. Acesso em: 05 nov. 2021.

COELHO, F. U. Para entender Kelsen. 4ª ed., São Paulo: Saraiva, 2001.

CORREAS, Ó. El otro Kelsen. In: CORREAS, Ó. (Org.). El otro Kelsen. México: Universidad Nacional Autónoma de México, 1989.

GOYARD-FABRE, S. Filosofia crítica e razão jurídica. Trad. Maria Ermantina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

KELSEN, H. O problema da Justiça. Trad. João Baptista Machado, 5ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2011.

KELSEN, H. Teoria Pura do Direito, Trad. João Baptista Machado, 8ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2020.

KELSEN, H. O que é Justiça? Trad. Luís Carlos Borges, 3ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2001.

KOZICKI, K. Conflito e estabilização: comprometendo radicalmente a aplicação do direito com a democracia nas sociedades contemporâneas. Tese (Doutorado em Direito) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2000.

LOSANO, M. Introdução. In: KELSEN, H. O problema da Justiça. Trad. João Baptista Machado, 5ª ed., São Paulo: Martins Fontes, 2011.

WARAT, L. A.; CABRIADA, G. P. Os Quadrinhos Puros do Direito. Argentina: Angra Impresiones, sd.

WARAT, L. A. Introdução geral ao direito. Interpretação da lei. Temas para uma reformulação. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1994.

WARAT, L. A. A Pureza do Poder. Florianópolis: Editora da UFSC, 1983.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

HIJAZ, T. F. (2022). A TEORIA PURA DO DIREITO NÃO É UMA TEORIA DO DIRIETO PURO. Revista De Direito Da FAE, 6(2), 169–188. Recuperado de https://revistadedireito.fae.edu/direito/article/view/106