PANDEMIA ANTIDEMOCRÁTICA: A COVID-19 SOB A ÓTICA DA NECROPOLÍTICA À BRASILEIRA

  • Maria Carolina Poholink Cabral Poholink BASSI FAE
  • José Carlos Alves SILVA
  • Thais Sabrine Almeida LUSTOSA
Palavras-chave: Necropolítica; COVID-19; Democracia; Negros; Desigualdade.

Resumo

Desde o período de colonização do Estado brasileiro, a ascensão de determinada classe da população ocorreu através da escravidão, e detrimento dos menos favorecidos, na época, índios e negros, tiveram seus corpos objetificados, suas liberdades usurpadas, sendo, portanto, o alvo da exploração. Tais fatores históricos construíram, e ainda, influenciam de forma determinante a condição socioeconômica dos grupos minoritários; Inclusive, o próprio racismo institucionalizado é reflexo daquele passado hostil, e hoje, apresenta como uma das grandes consequências, a desigualdade enfrentada pela população negra; a qual, no cenário atual, vivencia uma exposição de maior vulnerabilidade na crise sanitária enfrentada pelo Brasil, fato este que reafirma o baixo acesso às políticas sociais, entre elas, o acesso ao sistema público de saúde e a assistência de saúde. Deste modo, sob a ótica da Necropolítica institucionalizada, onde o Estado determina a importância de cada vida e, observando que a pandemia da COVID-19 escancarou a atual legitimação da política de mortes, pretende-se conceituar esses institutos, demonstrar que a construção histórica do estado brasileiro está intimamente ligada a metodologia da Necropolítica, e o domínio sobre os corpos negros, para portanto, compreender as relações de morte que mobilizam a população negra no momento da pandemia.

Palavras-chave: Necropolítica; COVID-19; Democracia; Negros; Desigualdade.

Referências

Alma Preta (São Paulo). COVID: HÁ MAIS CHANCE DE LETALIDADE ENTRE NEGROS. Outras Mídias, [S. l.], p. 1, 15 abr. 2020. Disponível em: https://outraspalavras.net/outrasmidias/covid-ha-mais-chance-de-letalidade-entre-negros/. Acesso em: 29 jul. 2020.

BARREIRA, Gabriel. FAVELAS DO RIO SOMAM MAIS MORTES POR COVID-19 DO QUE 15 ESTADOS DO BRASIL. G1, RIO DE JANEIRO, p. 1, 21 maio 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/21/favelas-do-rio-somam-mais-mortes-por-covid-19-do-que-15-estados-do-brasil.ghtml. Acesso em: 29 jul. 2020.

CORRÊA, Murilo Duarte Costa; Vieira, Cainã Domit. NECROPOLÍTICA DA MEMÓRIA ESCRAVA NO BRASIL PÓS-ABOLIÇÃO. Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 11, n. 26, p. 368 - 401, jan./abr. 2019.

DIFERENÇAS SOCIAIS: PRETOS E PARDOS MORREM MAIS DE COVID-19 DO QUE BRANCOS, SEGUNDO NT11 DO NOIS. CTC - CENTRO TÉCNICO CIENTÍFICO/PUC-RJ, [S. l.], p. 1, 27 maio 2020. Disponível em: https://referenciabibliografica.net/a/pt-br/ref/abnt. Acesso em: 29 jul. 2020.

Foucault, M. História da sexualidade: A vontade de saber. Rio de Janeiro, RJ: Paz & Terra, 2014b.

Foucault, M. EM DEFESA DA SOCIEDADE. Curso no Collège de France (1975-1976). Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1999, p. 306.

LIMA, Fátima. BIO-NECROPOLÍTICA: DIÁLOGOS ENTRE MICHEL FOUCAULT E ACHILLE MBEMBE. Arquivos Brasileiros de Psicologia; Rio de Janeiro, 70 (no.spe.): 20-33, 2018.

Mbembe, A. NECROPOLÍTICA. São Paulo, sp: n-1 edições, 2018.

Mbembe, A. POLÍTICAS DA INIMIZADE. Lisboa: Antígona, 2017.

MBEMBE, Achille. NECROPOLÍTICA: BIOPODER, SOBERANIA, ESTADO DE EXCEÇÃO, POLÍTICA DA MORTE. Tradução de Renata Santini. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

MUNIZ, Bianca; PINA, Rute; FONSECA, Bruno. EM DUAS SEMANAS, NÚMERO DE NEGROS MORTOS POR CORONAVÍRUS É CINCO VEZES MAIOR NO BRASIL. Pública - Agência de Jornalismo Investigativo, [S. l.], p. 1, 6 maio 2020. Disponível em: https://apublica.org/2020/05/em-duas-semanas-numero-de-negros-mortos-por-coronavirus-e-cinco-vezes-maior-no-brasil/. Acesso em: 29 jul. 2020.

OLIVEIRA, Wanderson Kleber de et. al. COMO BRASIL PODE CONTER O COVID-19. Epidemiol. Serv. Saude, Brasília, 29(2):e2020044, 2020.

ROSSI, MARINA. População negra vai à Justiça para contar seus mortos por coronavírus e expõe leitura deformada da pandemia. El país , São Paulo, p. 1, 15 maio 2020. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2020-05-15/populacao-negra-vai-a-justica-para-contar-seus-mortos-por-covid-19-e-expoe-leitura-deformada-da-pandemia.html. Acesso em: 29 jul. 2020.

Silva, Carlos. COVID-19 E NECROPOLÍTICA NA CONJUNTURA BRASILEIRA. Boletim de Conjuntura (BOCA), vol. 2, n. 6, Boa Vista, 2020.
Publicado
24-06-2021
Como Citar
BASSI, M. C. P., SILVA, J. C., & LUSTOSA, T. S. (2021). PANDEMIA ANTIDEMOCRÁTICA: A COVID-19 SOB A ÓTICA DA NECROPOLÍTICA À BRASILEIRA. Revista De Direito Da FAE, 3(1), 10 - 32. Recuperado de https://revistadedireito.fae.edu/direito/article/view/75