A REPRESENTAÇÃO FISCAL PARA FINS PENAIS E A PUBLICIDADE DAS INFORMAÇÕES

A PROTEÇÃO DO DIREITO FUNDAMENTAL À PRIVACIDADE NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO

  • Nádia Rubia Biscaia da Rocha LOURES Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: direito constitucional, teoria dos direitos fundamentais, proporcionalidade, direito fundamental à privacidade, direito à informação

Resumo

O presente artigo tem por escopo suscitar reflexão quanto ao conteúdo da Portaria nº 1.750, editada pela Receita Federal do Brasil em 12 de novembro de 2018, especificamente no que tange à previsão de divulgação, em domínio público, de elementos contidos em representações fiscais para fins penais encaminhadas ao Ministério Público Federal, tais como a identificação dos envolvidos e a tipificação legal do ilícito penal imputado. Com esteio em pesquisa teórica, e com fundamento no método dedutivo, o estudo examinará a concepção normativa da proteção do direito fundamental à inviolabilidade da privacidade, na perspectiva do direito tributário, investigando as hipóteses de restrição com esteio na aplicação do princípio da proporcionalidade. Concluirá, pois, que a divulgação de informações concernentes ao procedimento de representação fiscal para fins penais, por parte da Administração Pública, constitui sanção política que restringe e viola direito fundamental ínsito à dignidade da pessoa humana.

Referências

AGUIAR, Rodrigo Goulart. A nova face dos direitos à intimidade e à vida privada na ordem jurídica nacional: os primeiros passos rumo à tutela de dados e à autodeterminação informativa. A&C – R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 15, n. 59, p. 199-223, jan./mar. 2015. Disponível em: . Acesso em 10 jun. 2020.

AGRA, Walter de Moura. Curso de Direito Constitucional, 8ª edição. Rio de Janeiro: Forense, 2014. Sem paginação. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/978-85-309-5451-2/. Acesso em: 28 jul. 2020.

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. 2.ed. São Paulo: Malheiros, 2014, p. 85 – 143.

ÁVILA, Ana Paula Oliveira; WOLOSZYN, André Luis. A tutela jurídica da privacidade e do sigilo na era digital: doutrina, legislação e jurisprudência. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 4, n. 3, p. 167-200, set./dez. 2017.

BARCELLOS, Ana Paula de. Curso de Direito Constitucional, 2. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2019.

BARROSO, Luís Roberto. Curso de direito constitucional contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. 9. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2020, p. 492. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788553617562/. Acesso em: 28 jul 2020.

BERNARDES, Marcia Nina. Sistema Interamericano de Direitos Humanos como esfera pública transnacional: aspectos jurídicos e políticos da implementação de decisões internacionais. SUR, São Paulo, ano, v. 8, p. 135-156, 2011.

CÂMARA, Mar Antonio de la. Transparencia y derecho de acceso a la información versus protección de datos. Revista Internacional de Transparencia e Integridad, nº 4, may-ago 2017, p. 13

CANOTILHO, José Joaquim Gomes; MOREIRA, Vital. Constituição da República Portuguesa anotada. v. I. 4. ed. Coimbra: Coimbra Editora, 2007, p. 467- 468.

CARNEIRO, Cláudio; LEMOS, Marcos A. F. o movimento pós-positivista e a “visão” neoconstitucionalista da ponderação: a valoração de princípios em Robert Alexy. Revista de Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v.12, n.12, p.105-124, julho/dezembro de 2012. Disponível em: < https://revistaeletronicardfd.unibrasil.com.br/index.php/rdfd/article/view/306/276>. Acesso em 14 jun. 2020.

CARVALHO, Paulo de Barros. Direito tributário. 24. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 109

CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS. Merits, reparations and costs nº 12.108, Julgamento do caso de Claude Reyes; et al. v. Chile, San José, 19 set. 2006. Séries C nº 151, para 77, p. 43. Disponível em: Acesso em 03 ago. 2020.

DÍAS, Ivonne; LIANI, Milena; PERLINGEIRO, Ricardo. Princípios sobre o direito de acesso à informação oficial na América Latina. Revista de Investigações Constitucionais, Curitiba, vol. 3, n. 2, p. 143-197, maio/ago. 2016. Disponível em: , acesso em 11 jun. 2020.

DUQUE, Marcelo Schenk. Curso de Direitos Fundamentais: teoria e prática. São Paulo: RT, 2014.

HACHEM, Daniel Wunder; GUSSOLI, Felipe Klein. A quebra de sigilo bancário post mortem em inquérito policial: entre a proteção dos direitos fundamentais à intimidade e à privacidade e o interesse público de persecução penal. A&C – R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 15, n. 60, p. 149-177, abr./jun. 2015.

LANA, Henrique Avelino; CRUZ, Lucas Vinicios. A permanente ânsia arrecadatória do estado via sanções políticas como forma coercitiva e indireta de compelir o contribuinte a adimplir o crédito tributário. Revista de Direito Internacional Econômico e Tributário, Brasília, V. 13, nº 2, p. 325 – 363, Jul-Dez/2018. Disponível em: . Acesso em 20 jun. 2020.

LEAL, Rogério Gesta. Há um direito à privacidade e intimidade absolutos na ordem jurídica e política democráticas contemporâneas, notadamente em face de informações de interesse público indisponível? A&C – R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 12, n. 48, p. 65-96, abr./jun. 2012. Disponível em: . Acesso em 12 jun. 2020.

LIMBERGER, Têmis. Cibertransparência: informação pública em rede e a intimidade como um dos limites constitucionais – uma abordagem a partir do tema 483 da Repercussão Geral examinada pelo STF. A&C – R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 16, n. 65, p. 199-217, jul./set. 2016.

______. Transparência administrativa e novas tecnologias: o dever de publicidade, o direito a ser informado e o princípio democrático. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 244, p. 248-263, jan. 2007. ISSN 2238-5177. Disponível em: . Acesso em: 21 Ago. 2020.

______. O direito à intimidade na era da informática: a necessidade de proteção dos dados pessoais. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2007.

MAINO, Patricia. Faces da visibilidade: a tensão entre a publicidade e a privacidade. http://www.repositorio.jesuita.org.br/handle/UNISINOS/3990. Data da Defesa: 2010-08-17 Orientador: Limberger, Têmis.

MENDES, Gilmar Ferreira. Limitações dos direitos fundamentais. In:______. Direitos fundamentais e controle de constitucionalidade: estudos de Direito Constitucional. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2012, p. 33-64.

NASCIMENTO, Valéria Ribas do; RODRIGUES, Márcio Schorn. A sociedade informacional em xeque: princípio da publicidade versus direito à intimidade e a lei 12.527/11. Revista de Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, v. 14, n. 14, p. 181-195, julho/dezembro de 2013. Disponível em: . Acesso em 20 jun. 2020.

OLIVEIRA, José Roberto Pimenta. Os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade como normas conformadoras e limitadoras da atuação da Administração Pública. In: DALLARI, Adilson Abreu; NASCIMENTO, Carlos Valder do; MARTINS, Ives Gandra da Silva (Coord.). Tratado de direito administrativo. vol. 1, p. 213-255, São Paulo: Saraiva, 2013.

OLIVEIRA, Rafael Carvalho Rezende. Princípios do Direito Administrativo, 2ª edição. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

PEDRON, Flávio Quinaud. O dogma da supremacia do interesse público e seu abrandamento pela jurisprudência do Supremo Tribunal Federal através da técnica da ponderação de princípios. A&C R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 8, n. 33, p. 193-217, jul./set. 2008.
PERLINGEIRO, Ricardo. A codificação do direito à informação na américa latina. A&C R. de Dir. Administrativo & Constitucional, Belo Horizonte, ano 14, n. 56, p. 209-227, abr./jun. 2014.

PULIDO, Carlos Bernal. La racionalidad de la ponderación. Revista Española de Derecho Constitucional, Madrid, año 26, n. 77, p. 51-75, mayo/ago. 2007.

SARLET, Ingo Wolfgang; MITIDIERO; Daniel; MARINONI, Luiz Guilherme. Curso de direito constitucional. Editora Saraiva, 2020. Disponível em: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788553619344/. Acesso em: 28 jul. 2020.

SCHOUERI, Luís Eduardo. Direito tributário. 8. ed. São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

SILVA, Virgílio Afonso da. O proporcional e o razoável. Revista dos Tribunais, São Paulo, v. 91, n. 798, abr. 2002.

______. Direitos fundamentais: conteúdo essencial, restrições e eficácia. 2. ed. São Paulo: Malheiros, 2014.

TORRES, Ricardo Lobo. Tratado de direito constitucional financeiro e tributário: valores e princípios constitucionais tributários. 2. ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2014.
Publicado
30-12-2022
Como Citar
Biscaia da Rocha LOURES, N. (2022). A REPRESENTAÇÃO FISCAL PARA FINS PENAIS E A PUBLICIDADE DAS INFORMAÇÕES. Revista De Direito Da FAE, 6(2), 31 - 66. Recuperado de https://revistadedireito.fae.edu/direito/article/view/114